Infantrilhos

Somos um grupo de amigos residentes no Infantado, concelho de Loures, unidos pela vontade e pela paixão da prática do BTT, desde 1996, em busca de momentos intensos de aventura, convívio e descoberta do melhor que a natureza nos tem para oferecer.

segunda-feira, junho 05, 2006

À descoberta da Costa da Caparica

Depois de uma sexta-feira com três espectáculos magníficos, Rui Veloso, Santana e Roger Waters que fizerem com que, só fosse para a cama,às quatro e tal da manhã de sábado, tornou-se inviável qualquer passeio de BTT nesse dia, quase comprometendo até, o passeio domingueiro. Rock in Rio sempre! (estive lá e foi inesquecível!).

Eis que às 16.30h de domingo, resolvo preparar o barco, levantar a âncora e rumar do lago Infantado, à descoberta do porto da Costa da Caparica.
Munido das respectivas cartas e outros utensílios deveras necessários, como a bússola e o astrolábio, lá vou eu...objectivo; chegar à Costa, mergulhar e voltar para o Infantado.
Devido ao adiantado da hora por um lado, 16.30h muito calor, e por outro, pouco tempo para efectuar toda a Rota de modo a chegar ao Infantado, ainda com a luz do dia presente, havia que escolher o caminho mais directo.
O navio como todos sabem, trata-se de um Cannondale, de um cavalo de potência, equipado com uma âncora demasiado pesada. O vento no sentido, Infantado – Costa, soprava bem forte, dificultando a progressão. Depois de ter saído do grande lago Infantado, sigo pelo rio da Ponte Frielas até ao Olival Basto. Tendo iniciado a partir daí, a subida daquela soberba cascata que dá pelo nome de Calçada Carriche. Entro então no Rio Padre Cruz onde a determinada altura me debati com a presença de alguns animais indesejados, tais como, crocodilos...era importante que o barco não se afundasse, se algo de inesperado acontecesse, seria a morte do artista, e lá falharia mais uma importante viagem de um navegador português, esta porém, em pleno século XXI.
Após aquele rio tortuoso e, depois do grande lago do Campo Grande, cheguei ao rio Entre-Campos onde teria que aportar e ser rebocado na travessia do grande Tejo (disseram-me que não seria possível um navio como o Cannondale, fazer a travessia em condições de segurança, sem acompanhamento técnico).
O reboque passou por algumas dificuldades, não conseguia progredir facilmente, devido ao peso da âncora. Mas, lá chegámos ao porto do lado de lá do rio, onde teria que navegar pelo grande afluente do Tejo, que dá pelo nome de Via Rápida ou IC20 que desagua no Oceano Atlântico, junto ao porto da Costa da Caparica.
Uma vez chegado à Costa, cumpriu-se o ritual próprio destes momentos, o içar da Bandeira e o mergulho da praxe, nas águas nunca antes mergulhadas.
No regresso utilizou-se a mesma rota para não haver enganos e ao mesmo tempo aproveitar o vento de feição.
A chegada ao lago Infantado deu-se pelas 20.35h, mais uma vez, tivemos uma recepção em apoteose por parte da população que nos esperava, acenando com bandeiras e outros artefactos em prefeito delírio.
A Rainha em representação do Rei, deu os parabéns e houve lugar a um abastardo jantar em comemoração do feito.

O Navegador,

Álvaro Vieira

5 Comments:

At 9:19 da tarde, Anonymous Biker said...

Grande Alvaro, muito bem, levas-te a bandeira da ancôra à Costa da Caparica, magnifica aventura. Na proxima vez convida.

 
At 9:26 da tarde, Anonymous Biker said...

Convem dizer que no domingo eu o Paulo Borges o Hugo, brindamos com a nossa presença os cerca de 200 betetistas num passeio realizado na Tapada nacional de Mafra. O Hugo como sempre foi o campeão, chegando em 1º a Mafra, eu e o PB fizemos um belo percurso com uma excelente média (18Km/h, foi durinho, mas vale apena.

 
At 9:44 da tarde, Anonymous P Borges said...

Crónica especatacular com sentido épico-patriota. A continuar assim vais concorrer directamente com o José Rodrigues dos Santos. Adicionas algumas charadas e outras ideias decifráveis cabalisticamente e...já está! BTTex 632! Tens um romance de elevado calibre. É a crónica mais original de todas. Diverti-me imenso a ler. A nossa odisseia, foi assim mais de uma trágico-comédia. É a história de 2 facciosos, que sempre acreditaram que a conjugação BTT+30 C (não sei por a bolinha atrás do C!)+600ml de liquido (água com sei lá o quê), é um belíssimo programa domingueiro. Digo 2 porque o terceiro não é terráquio! E depois um deles (por exclusão vê-se logo quem é o bicho!) que se apanha em alta e lá vai ele! Aqui um gajo`"à rasca" para se aguentar vivo! Todos os Verões levo um "aperto" destes. Espero que este seja o de 2006! Chiça!

 
At 7:21 da tarde, Anonymous Pintainho said...

Oi, Brincalhones! E so pa dizer que se aproxima o "Momento de Agonia"...
O Angliru esta prestes a ser "vergado".

 
At 6:50 da tarde, Anonymous Pintainho said...

E agora … o prometido, embora atrasado, comentário a esta original crónica.
Reparei que não utilizas o indispensável quadrante … daí as numerosas vezes que perdes o rasto do grupo!
Tem piada, que num Blog concorrente deste, redigido por um qualquer “crocodilo”, está a “Crónica do Caracol” que se refere a um grande barco “canhão”, com uma enorme âncora, movido a energia de caracol, avistado no famoso Rio Padre Cruz…
E ouvi dizer que o dito barco é mais dado a “lagos” que a “mares revoltos”, “cascatas”, “rápidos” e outros que tais…

 

Enviar um comentário

<< Home